O desenvolvimento de tumores cerebrais em idade pediátrica

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Elisângela Faustino Farias da Costa
Silvia Cristina Fürbringer e Silva

Resumo

Objetivo: Reunir informações recentes sobre tumores cerebrais na idade pediátrica, trazendo dados sobre os tipos mais comuns, descobertas sobre seu desenvolvimento, consequências em qualidade de vida, tratamentos e diagnósticos. Revisão bibliográfica: Os tumores malignos pediátricos geralmente afetam as células do sistema hematopoiético e os tecidos de sustentação, o que se explica por serem predominantemente de natureza embrionária, oriundos de células indiferenciadas, diferentemente do que ocorre com o câncer em adultos, que costuma afetar as células do epitélio. Os tumores cerebrais malignos ocupam entre o primeiro e o terceiro lugar em incidência e mortalidade por câncer em crianças, dependendo do país, e são a principal causa de morte por câncer nessa população. Entre os tumores cerebrais mais comuns na população pediátrica estão o meduloblastoma e o glioma. O uso de FET-PET parece ser mais preciso na diferenciação e avaliação de tumores cerebrais na idade pediátrica do que a ressonância magnética, devendo ser indicada quando houver dúvidas na identificação das lesões. Considerações finais: Ainda pouco se sabe sobre a etiologia do tumor cerebral na infância. Também se faz necessário um melhor direcionamento para os tratamentos desses tipos de câncer, o que vem sendo desenvolvido através de terapêuticas epigenéticas.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CostaE. F. F. da, & SilvaS. C. F. e. (2021). O desenvolvimento de tumores cerebrais em idade pediátrica. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem, 10, e6965. https://doi.org/10.25248/reaenf.e6965.2021
Seção
Artigos